Lucretin

Higiene íntima: adolescencia

adolescênciaHigiene íntima: adolescencia

especial para sua fase

O que devo saber sobre higiene íntima? Mitos e verdades.

Além das alterações psicológicas e comportamentais da adolescência, que normalmente vêm acompanhadas de ansiedade e insegurança, é nessa fase que se inicia o amadurecimento sexual, que aos poucos vai mudando as formas do corpo e dos órgãos genitais da menina.

Os ovários começam a produzir estrogênios e a vagina torna-se mais espessa, mais úmida e mais elástica em resposta ao estímulo hormonal. Além disso, outras mudanças importantes ocorrem com o surgimento dos lactobacilos próprios da flora vaginal. A presença desses elementos promove a acidez necessária para formar as defesas naturais do meio vaginal.

Com essas alterações e depois da primeira menstruação, alguns cuidados devem ser tomados com a higiene íntima para que as condições naturais da região não seja alterada – causando irritações e até infecções. Mesmo quando menstruada, e em condições de higiene corretas, não ocorrem cheiros fortes e desagradáveis na região. Durante o período menstrual, recomenda-se higienizar a região de preferência uma vez por dia ou quando for realizar a troca de absorventes.

A limpeza íntima deve seguir os princípios indicados pelos médicos. O ideal é que ela ocorra de uma a duas vezes ao dia em toda a região púbica, a vulva, o interior dos grandes e dos pequenos lábios, incluindo o vestíbulo vaginal até a membrana do hímen, passando pela região das coxas e da região perianal. É preciso ter cuidado também para evitar a introdução de substâncias na cavidade vaginal.

A lavagem com água associada a produtos de limpeza indicados remove os resíduos que se acumulam no dia a dia e trazem aquela sensação gostosa de conforto. Sabonetes líquidos específicos para a limpeza dos genitais da adolescente são os mais recomendados. É preciso evitar os tradicionais sabões ou sabonetes em barra que, além de alterarem o pH natural da região, são muitas vezes utilizados por mais de uma pessoa, o que aumenta o risco de contaminação.

Para preservar sua saúde íntima e evitar problemas deve-se evitar o uso de calcinhas de lycra ou de outros tecidos que aumentem a temperatura na região e possam causar irritação ou alergia. As calcinhas de algodão são as mais adequadas. Calças muitos justas também aumentam a temperatura, causam transpiração e, por isso, também devem ser usadas poucas vezes. Dormir sem calcinha, além de confortável, pode ajudar muito a higiene íntima.

Compartilhe esse artigo

Envie para um amigo

Preencha corretamente o formulário.

  • Escolha uma Fase da sua Vida